sexta-feira, agosto 15

RESULTADO DA 4ª ENQUETE DO BLOG

O critério utilizado pelo Moedoteca para dispor as opções da enquete Qual destas atrizes com menos de 30 anos é a nova musa do pedaço (do cinema do século XXI) foi a idade das atrizes em ordem crescente.

A grande vencedora com 27% dos votos, Scarlett Johansson, é uma atriz incansável - parece que atua em mais de 20 filmes por ano. Em todas as locadoras que entro, em todo cinema ao qual me dirijo, há sempre uma capa de DVD ou um enorme cartaz publicitário nos quais saltam à vista a beldade de olhos azuis. Johansson ainda conseguiu uma das melhores formas de se promover desses últimos tempos: ser mais uma das queridinhas de Woody Allen.

Todos sabem que as duas queridinhas do momento são Scarlett Johansson e Natalie Portman: não há diretor que resista ao encanto dessas duas preciosidades que medem 1,63m e 1,60m respectivamente. A última, porém, ficou em segundo lugar na enquete, com 16% dos votos. Particularmente, considero Natalie a melhor atriz das 8 selecionadas aqui, mesmo que em todos os seus filmes ela tenha de derramar uma choradeira descomunal. O assédio a essas duas é tanto que, coincidentemente ou não, no filme ainda em produção New York, I Love You (uma possível e, convenhamos, patética alusão ao não menos patético Paris Je t’aime) há um curta-metragem dirigido por Johansson e outro dirigido por Portman. Sem contar o recente A Outra, filme em que as duas estrelas brilham lado a lado, encarnando papéis de irmãs rivais (pode existir situação mais fetichesca para um cinéfilo?) - um encontro comparável ao de Robert de Niro e Al Pacino no bem-acabado Fogo contra Fogo de Michael Mann (que por sinal tem Natalie Portman no elenco).

Em terceiro lugar com 13% dos votos, Eva Green é uma atriz que já tinha certa intimidade com o teatro. Sua estréia no cinema se deu justamente no famigerado Os Sonhadores, um filme de ninguém menos que Bernardo Bertolucci, ou seja: ela não precisava de mais nada. Mesmo assim, acabou fazendo uma Bond Girl, obrigando todos nós a gravar seu nome e seu semblante para daqui a 50 anos ainda continuarmos citando-os.

Não vou mentir: Alice Braga só entrou nesta enquete movida por um fugaz sentimento de democracia. Ainda assim, ela conseguiu um 4º lugar com 11% dos votos. A bela conquistou um Brasil mais atento numa memorável ponta em Cidade de Deus; depois, alçando vôo até Hollywood, conquistou o Brasil inteiro. Detalhe importantíssimo: ela não é filha de Sônia Braga, mas sobrinha.

Keira Knightley, em 5º lugar com 9% dos votos, alcançou as estrelas após protagonizar ao lado de Johnny Depp e Orlando Bloom o sucesso de bilheteria Piratas do Caribe e suas respectivas seqüências. A musa foi eleita por certa revista britânica a 2ª voz mais sexy do cinema, ficando atrás apenas de Sean Connery. Ainda possui uma conveniente ligação com adaptações de romances ingleses: protagonizou Orgulho e Preconceito (do livro de Jane Austen), dirigido por Joe Wright e o recente Desejo e Reparação (do livro de Ian McEwan), também dirigido por Wright, além de constar no elenco de uma mini-série de TV baseada no Oliver Twist de Dickens.

Ao lado de Keira Knightley no 5º lugar com seus 9%, Catalina Sandino Moreno caiu nas graças dos cinéfilos em geral e na mente criativa dos cinéfilos masculinos em particular após protagonizar o belo e impactante Maria Cheia de Graça, um dos melhores filmes de 2004. Esta colombiana, que na sua primeira aparição por trás das telonas já concorreu ao Oscar, ainda promete com certeza entrar para a história do cinema; como boa atriz que é, e - obviamente - pela sua beleza incontestável.

Cientistas ingleses "descobriram" a fórmula da mulher perfeita: sua cintura precisa medir o equivalente à 70% da medida dos quadris (a relação cintura-quadris precisa ser 0,7). O corpo feminino que mais se aproxima dessa medida no mundo inteiro é o de Jessica Alba, empatada com Anne Hathaway em 6º lugar. Ela ainda não fez um filme que preste (à exceção, talvez, de Sin City), mas tenho a absoluta certeza de que a maioria dos espectadores não liga muito para isso.

A primeira vez que eu e provavelmente 2% da humanidade viu Anne Hathaway foi no filme O Segredo de Brokeback Mountain (os outros 98% foi no “inesquecível” O Diário da Princesa) – quanto à última, creio que demorará um pouco. Anne já fez filme de moda com Meryl Streep, já posou, já fez academia e já encarnou Jane Austen. Só falta duas coisas: ganhar um Oscar e continuar bonita. Sem querer ludibriar, mas o segundo objetivo é muito mais fácil de ser alcançado.

Provavelmente a mais experiente das 9 concorrentes, mas ainda assim em último lugar nesta enquete, Kirsten Dunst seria o equivalente a uma Drew Barrymore do final do século passado, só que mais bonita, menos problemática e mais compromissada. Parece conter os atributos ideais para uma musa: seu nome é quase impossível de ser memorizado audiovisualmente, e, sobretudo, é dona de um papel marcante - quando eu digitei “Kirsten Dunst” no Google, ele rebateu: “Você quis dizer Mary Jane”.

Nenhum comentário: